Tratamento - Uso do frio em Trauma Muscular

Crioterapia - Tratamento através do uso de frio em traumas

Crioterapia ou a utilização de frio como meio em traumas músculo esqueléticos é comumente utilizado em medicina desportiva e nas atividades de vida diária. Quando for usado intermitente após uma lesão conuntamente a elevação, compressão e relaxamento consegue-se reduzir as condições adversas relacionadas com a fase inflamatória aguda de uma lesão.


Princípios físicos:

Quando o frio é aplicado em um objeto quente, o calor é absorvido. Mas o frio depende do tipo de tecido para ser absorvido. Por exemplo colocar frio em um músculo com um alto teor de água é um excelente condutor de frio. Mas colocando-se frio em um músculo com elevado teor de gordura nos tecidos, sendo a gordura um baixo condutor de energia, o frio não seria tão eficaz.

As duas formas mais eficazes de utilizar o frio como um meio terapêutico são compressas frias e imersão em água gelada.

Efeitos fisiológicos do frio

Após a aplicação do frio durante 15 minutos a 10°C, ocorre vasoconstrição nas arteríolas e vênulas. Este processo é causado por uma ação reflexa do músculo liso, o que pode resultar da estimulação do sistema nervoso simpático e da medula adrenal, que provoca uma descarga de adrenalina e noradrenalina.

Se o frio é aplicado continuamente por 15 a 30 minutos, ocorre um período de vasodilatação, durante cerca de 4 a 6 minutos, que é conhecido como “hunting response”. Esta é uma resposta contra o tecido lesado pela exposição ao frio durante muito tempo.

Após o trauma, muitas células são afetadas, conseqüencia da má circulação, que diminui a quantidade de oxigênio entregue à área lesada. A utilização de frio ajuda a recuperação porque reduz a quantidade de hipóxia das células, diminuindo a taxa metabólica. Isto resulta numa diminuição do tecido afetado e recuperação mais rápida.

Com um tecido com frio, pode-se reduzir diretamente o espasmo muscular, diminuindo o metabolismo na área afetada. Resultando na redução de resíduos produzidos pela irritação, que causa o espasmo muscular. Também pode-se reduzir o espasmo muscular aplicando o frio, devido à diminuição do limiar de reflexo miotático e reduzindo a viscosidade muscular, resultando em contrações mais lentas.

O frio também diminui a excitabilidade das terminações nervosas dos nervos periféricos. Analgesia é produzida pelo aumento do limiar nervoso.

Outra característica única do frio é a capacidade de reduzir a fadiga muscular e aumentar e manter a contração muscular. Esse recurso é baseado na redução da taxa metabólica local e na temperatura do tecido.

Sem dúvida, o uso de frio na fase aguda é extremamente importante para a rápida recuperação do tecido afetado.



Veja mais:

0 comentários:

Desenvolvimento e Gestão do Blog: Zope Mídia

  © Free Blogger Templates 'Greenery' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP